CÃO DANADO - Blog de cássio amaral


 

 

 

UM TROVÃO INSTIGA O UIVO

A NOITE CAI EM MOSAICO

NO VERSO LATIDO DE UM PÁRIA



Escrito por Cássio Amaral às 22h51
[   ] [ envie esta mensagem ]




MULHER

Tela de Luis Royo

 

Menina brincalhona,

Faceira e risonha

Loiras, negras, mulatas, morenas e ruivas

Crescem tão rápidas e amadurecem ligeiras

E transformam numa forma encantadora,

É o reflexo da natureza

É a leveza, sutileza, o suspiro e a beleza

É a mãe que dá a vida, que se doa,

A avó coruja

A namorada, esposa e amiga

É a candinha papa hóstia

A tigresa, a tímida

Outras bruxas belas de olhos verdes vestidas de preto.

Mulher é o caminho para o amor levado ao êxtase numa noite

De lua vermelha amarelada,

É a fortaleza do homem,

Nossa outra metade.

 

Cássio Marcos Amaral

Do meu primeiro livro: LUA INSANA SOL DEMENTE

 



Escrito por Cássio Amaral às 13h39
[   ] [ envie esta mensagem ]




Tela de Picasso

 

a mulher adora

quanto tem

um PICASSO

30/01/2005



Escrito por Cássio Amaral às 13h26
[   ] [ envie esta mensagem ]




Mais novos links aí do lado esquerdo.

Confiram que são todos muito bons!



Escrito por Cássio Amaral às 13h21
[   ] [ envie esta mensagem ]




PARA BAUDELAIRE

 

 

As flores do mal de Baudelaire

Sangram nas mãos dos poetas

Tão suspirantes e ofegantes

Onde sua loucura é a verdade inspiradora

 

Onde a Maldição é um canto no escuro

Onde o muro é cheio de lâminas

Cândidas guilhotinas das ilusões

Erupções em caracóis no mar

 

Onde é fácil a perturbação

Na mente dos humanos andróides

Seculares nas praias do purgatório

Onde a decisão é tomada junto a Dante

 

Baudelaire, seu vampiro,

Sangue puro de Poesia

Sugador dos pescoços dos mortais

Da tua lira imortal, arrepia os efêmeros corpos carnais.

 

(Cássio Amaral 2003)



Escrito por Cássio Amaral às 14h50
[   ] [ envie esta mensagem ]




NOVOS LINKS

 

Galera,

 

Tem novos links aí à esquerda, confiram!

E fiquei feliz de saber que minha amiga Cristiane Destri agora está no mundo dos blogs, com seu blogue FLOR DE LIZ

Confiram todos que são muito bons!!!

 



Escrito por Cássio Amaral às 20h55
[   ] [ envie esta mensagem ]




 

tantas vozes

não dizem

o melhor do silêncio

 

Cássio Amaral

06/09/2005.



Escrito por Cássio Amaral às 11h06
[   ] [ envie esta mensagem ]




OS MASSACRADOS

Para todos poetas desconhecidos e malditos

 

as palavras explodem

como a bomba relógio

o tic tac do suspense

a cobra levitando na flauta

 

a noite é o berço do grito

tiro minha máscara

e mostro o cão raivoso

sigo seco, cego, teimoso

 

o brilho vai apagando...

o superficial ganha a cena

a pena desbaratina a rima

e o poeta enche a cara no boteco

 

tantas babaquices

tantas fajutagens

os massacrados sangram a noite

com a alma de cristal

 

Cássio Amaral.

30/08/2005



Escrito por Cássio Amaral às 14h47
[   ] [ envie esta mensagem ]




EDGAR ALLAN POE

POE

POE        MA

POE

POE       SIA

 

POE       LEMA

POE      DILEMA

POE      DEVANEIO

POE      LOUCURA

POE     MALDIÇÃO

POE     CORAÇÃO

POE     CONTRAMÃO

POE    IMPACTO

POE       TA

Cássio Amaral.



Escrito por Cássio Amaral às 22h45
[   ] [ envie esta mensagem ]




ZAUNS TARADÓIDES

 

I

bocas batem asas

para o juízo final

caio no seu umbigo

tudo molhado.

ela abre as pernas

e acaricia  o coração do pênis

taichichuan de corpos desvairados

vai e vem...

um surto surta no cama sutra

clamando tântrico um oração

a sua rosa me morde

sem piedade.

 

II

bocas voam no delírio

você abre as pernas

e massageia o coração do pênis

rítmo, gula e química

som transgressor

que dá um tom à vida

flor carnívora

que come o talo sem perdão

e sente o prazer

massagear o êxtase.

 

Cássio Amaral

(inéditos)



Escrito por Cássio Amaral às 20h23
[   ] [ envie esta mensagem ]




HAI KU

 

A SUA TARA

É O REMÉDIO

QUE ME SARA

(haicai inédito)

 

Cássio Amaral

 



Escrito por Cássio Amaral às 22h11
[   ] [ envie esta mensagem ]




NA CALADA DA NOITE

 

Na calada da noite,

Noite fala, noite cala.

No muro gatos pulam,

No mundo homens nascem, homens morrem.

Na calada da noite,

Os perdidos procuram se encontrar,

Em ruas nuas e distantes.

Na calada da noite,

Onde está a nobreza humana?

Se os errantes com sua pobreza dormem no chão,

E achamos que isso é evolucão.

Na calada da noite dança o agito, ouve-se o grito do prazer.

E dói o sofrimento angustiante dos doentes.

Na calada da noite,

A escuridão convida a inspiração para a comunhão

Na luz da lua vermelha.

 

Do meu primeiro livro: LUA INSANA SOL DEMENTE.



Escrito por Cássio Amaral às 22h51
[   ] [ envie esta mensagem ]




Acordei de ressaca, cabeça explodindo... tudo amargo.

Flexes, flexes da noite de ontem, uma caminhada insólita

depois de ser expulso do bordel.

O peso na mente, a mente em levitação, vacilos que cospiram

para a minha autocrucificação.

É preciso mudar, tudo a mil, gomorra, sodoma

Vivemos um inferno sobre a terra, onde nos lapidamos

O céu canta um poema

e tenho permissão pra voar  da torre de babel.

 



Escrito por Cássio Amaral às 22h25
[   ] [ envie esta mensagem ]




ENTRE DEVANEIOS E POESIA

 

Tela de Baquiat

 

 

 

Hoje o dia está cinza

como a madrugada que fica em silêncio.

 

Cansei de ser cordial aos outros e não aos meus sentimentos.

Cansei de permanecer acordada quando a vontade era adormecer

sem pensamentos mundanos, sem freio de mão na viagem.

 

Aprendi a ser doce, mas não desaprendi a ser amarga comigo mesmo

Preocupo-me com a imagem refletida, esquecendo da imagem q. se projeta

sem licença para dentro de mim.

Meu filho é magia.

Minha vida um devaneio.

 

O mundo é hostil.

Tudo se mastiga e depois volta a fermentar

em algum lugar, em um canto qualquer.

Os animais sentem a presença e se envaidecem disso.

São fortes pq. usam os sentidos para entender o mundo,

e ensina tudo através dos olhos...onde só alguns conseguem penetrar.

 

Estou cansada de tantas falsidades...tanta maldade...tantas arbitariedades.

O mundo gira e somos pequenos como um pólen de uma flor...

que tem o poder de se procriar, mas apenas se alastra como erva daninha.

Onde estão as flores?

Onde está seu perfume?

Onde estamos nós diante a nós mesmo?

Os lobos uivam em desespero pedindo socorro a lua.

 

Cristiane Destri

 

 

(Cris 22/10/2005)

 

 

 

 

 

 



Escrito por Cássio Amaral às 21h49
[   ] [ envie esta mensagem ]




 

enrabo o destino

e esporro

na novidade do acaso,

como o cu

de com quem não caso

e esporro rumo ao azul

raso.

 

[poema-sturbado de Cássio Amaral e Ricardo Wagner]



Escrito por Cássio Amaral às 18h43
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]




 
Histórico
  06/11/2005 a 12/11/2005
  30/10/2005 a 05/11/2005
  23/10/2005 a 29/10/2005
  16/10/2005 a 22/10/2005
  09/10/2005 a 15/10/2005
  02/10/2005 a 08/10/2005
  25/09/2005 a 01/10/2005
  18/09/2005 a 24/09/2005
  11/09/2005 a 17/09/2005
  04/09/2005 a 10/09/2005
  28/08/2005 a 03/09/2005
  21/08/2005 a 27/08/2005
  14/08/2005 a 20/08/2005
  07/08/2005 a 13/08/2005
  31/07/2005 a 06/08/2005
  24/07/2005 a 30/07/2005
  17/07/2005 a 23/07/2005
  10/07/2005 a 16/07/2005
  03/07/2005 a 09/07/2005
  26/06/2005 a 02/07/2005
  19/06/2005 a 25/06/2005
  12/06/2005 a 18/06/2005
  05/06/2005 a 11/06/2005
  29/05/2005 a 04/06/2005
  22/05/2005 a 28/05/2005
  15/05/2005 a 21/05/2005
  08/05/2005 a 14/05/2005
  01/05/2005 a 07/05/2005
  24/04/2005 a 30/04/2005
  10/04/2005 a 16/04/2005
  03/04/2005 a 09/04/2005
  27/03/2005 a 02/04/2005
  20/03/2005 a 26/03/2005
  13/03/2005 a 19/03/2005
  27/02/2005 a 05/03/2005
  20/02/2005 a 26/02/2005
  13/02/2005 a 19/02/2005
  06/02/2005 a 12/02/2005
  30/01/2005 a 05/02/2005
  16/01/2005 a 22/01/2005
  09/01/2005 a 15/01/2005
  26/12/2004 a 01/01/2005
  14/11/2004 a 20/11/2004
  10/10/2004 a 16/10/2004
  12/09/2004 a 18/09/2004
  05/09/2004 a 11/09/2004
  22/08/2004 a 28/08/2004
  15/08/2004 a 21/08/2004
  08/08/2004 a 14/08/2004
  01/08/2004 a 07/08/2004
  18/07/2004 a 24/07/2004
  11/07/2004 a 17/07/2004
  04/07/2004 a 10/07/2004
  27/06/2004 a 03/07/2004
  13/06/2004 a 19/06/2004
  06/06/2004 a 12/06/2004
  16/05/2004 a 22/05/2004


Outros sites
  Jayro Alves Ribeiro
  O NADA
  o nada multiply
  Ricardo Wagner
  UOL
  UOL SITES
  Luiz Alberto Machado
  Ademir Assunção
  carpinejar
  Gaveta do Autor
  Telminha
  O Nada Superflog
  Cãoviralata
  Mar de Poesias
  Paulo Leminski
  Claudio Daniel
  Chacal
  Reuben da Cunha
  Atire no dramaturgo
  Barão Vermelho
  Ira!
  Josiane
  Ricardo Aleixo
  Paulinho Assunção
  Marcelo Dolabela
  Ana Elisa Ribeiro
  Angel Cabeza
  Zeca Baleiro
  Legião Urbana
  Plebe Rude
  Cazuza
  Bob Dylan
  Neil Young
  Pearl Jam
  Paralamas do Sucesso
  Zé Geraldo
  Beto Guedes
  Linda
  Charles Baudelaire
  Maiakóvski
  Rimbaud
  Johrei
  Blues Etílicos
  Ordem Rosa Cruz -AMORC
  Tosco
  Olhares e palavras
  Linaldo Guedes
  Bruxinha
  Loba
  Movimento Literatura Urgente
  William Blake
  Augusto dos Anjos
  Auguto de Campos
  Arnaldo Antunes
  Artes Comtrastes e Traquinagens
  O trompetista gago
  Regis Bonvicino
  Karen Arend
  Luiz Melodia
  Paulinho MOSKA
  Lenine
  Itamar Assumpção
  Karen Arend
  Adriano Ferraro
  Palavreando-Alex.S.F
  Torquato Neto
  Rodrigo de Souza Leão
  Casa do Poeta Ateliê- O Moa e a Nete
  Fabiano Calixto
  FRANK ZAPP
  U2
  FRANK ZAPPA
  Cordel do Fogo Encantado
  Angel Cabeza
  Leandro Faria
  Ultraje a Rigor Banda
  Duas Balzaquianas & Um Tosco
  Instituto Araxaense de Medicina Integral
  Fernando
  Blues ETC.
  patricio
  Maria Cristina Rosa
  Germano Soraggi
  Jocivan Hermano Ventura
  Radioatividade
  Rafael Nolli
  Eliana Mora
  Cláudia
  Anarkistas no Kaos
  pesa-nervos
  BLOGUE ERÓTICO- Luiz Alberto Machado
  A BARATA
  Fábrica de Poemas
  Joca Terron
  Glauco Matoso
  Concretismo
  O Cárcere das Asas
  marcio americo
  adriana zapparoli
  Flor de Liz
  Alice Ruiz
  Oceanos e Desertos
  Frank Zappa
  Ozzy Osbourne
  marcinha
  Balaio de Letras
  Fórum Democrático
  Serra da Canastra
  Zé Mishima
  Empreste-me seus ouvidos
  Ana Peluso
Votação
  Dê uma nota para meu blog